2008-04-22

Servidores HTTP estão deletando arquivos: MegaUpload, Rapidshare e similares.

Recebi um e-mail, de um Fórum que participo de download HTTP, com o seguinte conteúdo:

(...)

Como a maioria está sabendo, os servidores MegaUpload, Rapidshare e vários outros, começaram a deletar os arquivos esta semana.

Isso se deve ao fato de a maioria dos arquivos possuir o nome por extenso, infringindo descaradamente as políticas de uso dos servidores com relação a hospedagem de arquivos com copyright.

Para remover os arquivos, os servidores efetuam uma pesquisa e tudo que aparece com os nomes que possuem copyright são deletados sem prévio aviso, tendo em vista que, ao assinar uma conta nestes servidores, seja ela, paga ou gratuita, vc concorda automaticamente em respeitar as políticas de uso. Pode ser também que tenham criado algum tipo de filtro que efetue inclusive, a remoção automática dos arquivos ilegais encontrados.

A solução para contornar esta situação é que cada usuário abrevie os nomes dos arquivos antes de efetuarem o upload.

Exemplo:

Scooby-Doo.S01E02.-.O.fantasma.de.Scooby.by.ripador.avi

Ficaria assim:

SD.S01E02.avi ou SD.S01E02.by.nomedoripador.avi

Desta forma, o usuário baixa o arquivo e retorna ao tópico onde o mesmo foi lançado e copia a lista de episódios para posteriormente, renomeá-los da forma correta.

Outra alternativa seria fazer o mesmo compactando tais arquivos, mas acho que seguindo esta primeira já teremos bons resultados.

Solicitamos a todos os Uploaders, Colaboradores, Ripadores e Usuários em geral que sigam este exemplo para contornarmos esta situação de agora em diante.

Infelizmente, o que já se encontra hospedado nestes servidores não podemos fazer muita coisa, apenas torcer para que não sejam deletados, pois não adianta tentar renomear.

Solicitamos também aos Uploaders e Colaboradores, que ajudem a reupar o conteúdo já existente no site, baixando os mesmos, renomeando e upando para outros servers fazendo os mirrors atuais já neste modelo acima citado.

Toda ajuda é bem vinda e contamos com a colaboração de todos nesta empreitada, inclusive Ripadores e Usuários.

Esta medida é importante para que os tópicos continuem com seus links ativos e é de extrema importância que todos colaborem agora.

(...)



Achei melhor postar esta informação aqui para divulgar....

2008-04-08

Como Unir arquivos .aa .ab .ac

Para unir os arquivos com final .aa ; .ab ; .ac e assim por diante, basta renomear o arquivo e após isso usar o programa HJSPLIT.

Aconselho antes de renomear, vc desmarcar a caixinha "ocultar as extensões de tipos de arquivos conhecidos". É bem simples, basta você abrir uma janela do windows (exemplo: Meu Documentos) vá em Ferramentas>Opções de Pasta>Modo de Exibição>Desça a barra de rolagem e procure por "ocultar as extensões de tipos de arquivos conhecidos" e desmarque-a

Vamo lá então:

1. Baixe todas as partes referentes ao filme e deixe dentro de uma mesma pasta do seu computador. Observe se os arquivos baixados estão com o mesmo tamanho, exceto o último q é sempre menor e se os nomes dos arquivos estão na sequência, como mostra a imagem abaixo:

2.Agora vamos renomear os arquivos. Onde tem "aa" colocamos 001 ; onde tem "ab" colocamos 002 e assim por diante. Veja a imagem:

ps: para a galerinha que não sabe renomear... vc dá 1 clique em cima do arquivo e no lado esquerdo vai aparecer a opção "Renomear este arquivo" ai vc clica nesse nome e renomeia na boa. Outra maneira é vc dar 1 clique no arquivo (para selecionar) e depois apertar F2... e ai é só renomear.

3.Após isso basta unir os arquivos com o programa HJSPLIT. Baixe o programa: hjsplit (download aqui) ou (download aqui opção 2).. É bem fácil e rápido unir com o hjplit: Execute o programa HJSPLIT (não precisa instalar) >> clique em "Join" >> clique em "Input" e escolha o arquivo 001 >> depois clique em "Start". Se quiser ver com imagens clique aqui.
Após isso aparecerá um arquivo único na mesma pasta onde estava os arquivos em partes.

Widescreen X Fullscreen e outros formatos.

1. Introdução
2. Um pouco de história a respeito dos formatos de tela existentes
3. O que significa widescreen?
4. O que significa fullscreen?
5. Entendendo melhor o Aspect Ratio
6. O que acontece quando se faz o pan scan
7. Quando fullscreen acaba mostrando mais do que devia
8. Quando o original está em 4:3: A revanche do fullscreen
9. Conclusão



1. Introdução
Colocando em termos simples, a relação de aspecto da projeção de um filme (e o formato do filme no seu televisor) é expressa através da largura dividida pela altura. Existem vários tipos de A.R.(Aspect Ratio), basicamente estão representados por 4:3(fullscreen ou tecla cheia) e 16:9(widescreen, sendo que este apresenta váriações).
Iremos aqui apresentar as características de cada um, bem como fazer uma comparação para que assim os usuáios do site possam saber com detalhes a diferençaentre eles.

2. Um pouco de história a respeito dos formatos de tela existentes
O formato que hoje as TVs convencionais possuem (4:3 ou 1.33:1) foi concebido por Thomas Edison, na altura do cinema mudo, encolhendo ligeiramente depois para ceder espaço às trilhas sonoras. Essa primeira relação horizontal:vertical viria a ser adotada como standard pela Academy of Motion Pictures Arts and Sciences americana, em 1932.
Em seu televisor, quando toda área da tela é utilizada, usa a relação 4:3, como nos filmes antigos, porque quando os padrões de televisão foram definidos, no final dos anos 40, o padrão de cinema da época foi utilizado. Isto explica porque muitos filmes antigos (ex. Casablanca, Cidadão Kane) se encaixam na tela da TV perfeitamente. Quando a televisão entrou nos lares americanos nos anos 50, os estúdios de Hollywood sentiram uma queda inevitável nas bilheterias dos cinemas. Uma das respostas foi começar a rodar filmes em telas largas (widescreen), e muitos outros formatos que cada estúdio promovia.
Em 1953 surgiu o CinemaScope, com o filme bíblico «The Robe». O sistema utilizou lentes anamórficas, criadas por Henry Chrétien, cuja patente foi adquirida pela 20th Century Fox e registrada. Uma lente comprimia a imagem no negativo de 35mm, e outra lente na projecção descomprimia o filme num rectângulo de aproximadamente 2.55:1.

3. O que significa widescreen?
Existem hoje dois principais aspectos para telas largas: 2.35:1 e 1.85:1 (embora existam variações desde 1.66 até 2.60). Quando você assiste a um DVD em "widescreen" você percebe que a tela não é completamente ocupada e tanto encima quanto embaixo aparecem barras pretas para que assim seja compensada a relação desproporcional entre largura e altura.

4. O que significa fullscreen?
Fullscreen em português significa "tela cheia". Como o próprio nome diz é o formato de vídeo onde a tela é inteiramente ocupada pelo vídeo em questão, não tendo assim as barras pretas presentes no widescreen.
Fullscreen geralmente é criado com um destes três métodos: pan e scan, onde a imagem é extraida de dentro do frame original; open matte, onde a imagem é extraida e partes do negativo original que foi rodado mas que não era a princípio para ser utilizado nos cinemas; ou reframing onde os elementos dentro da imagem são reposicionados. Este último método(Reframing) é quase exclusivo de filmes de animação onde os elementos podem ser facilmente movidos.

5. Entendendo melhor o Aspect Ratio


Aspect Ratio
Definição
1

1:33:1 - Tela cheia, fullscreen, usado na maioria das TVs 4x3
2

1:66:1 - Menor tamanho de widescreen, muito usado em filmes
europeus. Muito bom em TVs 16 x 9 e apresenta pequenas faixas
pretas em 4x3
3

1:78:1 - Muito usado em DVD, e também na programação de
TV digital. Ideal para TVs wide e apresenta pequenas faixas pretas
em 4x3
4

1:85:1 - Grande parte dos filmes em DVD. Também ideal para
TVs wide, apresentando pequenas faixas pretas em 4x3
5

2:20:1 - Pouco usado, apresenta faixas pretas em TVs wide e
grandes faixas em TVs 4x3
6

2:35:1 - A maioria dos filmes de cinema, filmados em
Cinemascope/Panavision. Apresenta pequenas faixas pretas
em TV 16 x 9 e grande faixas pretas em TV 4x3
7

2:55:1 - Boa parte dos filmes antigos. Novamente,pequenas
faixas pretas em TV 16 x 9 e grande faixas pretas em TV 4x3
8

2:75:1 - Também boa parte dos filmes antigos. Novamente,
pequenas faixas pretas em TV 16 x 9 e grande faixas pretas em
TV 4x3


6. O que acontece quando se faz o pan scan






Temos também um outro exemplo através do filme Triplo X:

Essa é uma cena do filme na sua versão original em Wide 2.35:1, tirada de um DivX


A mesma cena de cima depois de passada para Fullscreen, tirada do DVD

Na passagem de Wide pra Full perdemos cerca de 45% da versão original!É muita coisa!

7. Quando fullscreen acaba mostrando mais do que devia

O que deve acontecer, tomando por base as demarcações nas películas quando projetadas nos cinemas, é o seguinte:
O DVD Widescreen preserva o formato original do filme, desejado pelo diretor e filmado daquela maneira. Se em Wide o close em Phoenix corta o topo de sua cabeça, é pra ser assim (e geralmente closes fazem isso mesmo, contra-planos, etc).
Se "Gladiador", por exemplo, fosse mal encaixado no projetor de cinema, poderia revelar mais do que deveria, pra cima ou pra baixo. Já notou quando a legenda está muito em cima, e os projecionistas "puxam" o filme mais pra baixo, fazendo com que elas fiquem na altura correta? Pois então: o contrário também pode ocorrer. Daí às vezes somos "presenteados" com sessões mal projetadas na parte superior, que está localizada abaixo das demarcações corretas, e o resultado é... microfone aparecendo, por exemplo.
Em alguns making-ofs é possível ver a tela em que o diretor checa a cena recém-filmada, ou mesmo a cena sendo filmada no exato momento. Existem nessa tela, nesse monitor, dois retângulos: um menor, mais estreito, e outro maior. O estreito fica dentro do maior. Nesse estreito/menor está o enquadramento que deverá ser exibido. O que "sobra" fora dele não deve ser visto, o que serve para, por exemplo, poder ver se o microfone está ultrapassando a linha do retângulo menor, saber onde o aparelho se encontra e se ele vai aparecer ou não no filme.
O que está fora do retângulo menor, mas DENTRO do maior, TAMBÉM é filmado, mas NÃO DEVE ser exibido, não é para aparecer no filme. Por isso o enquadramento no projetor é importante. Em muitos casos há, sim, mais filme acima, abaixo e até mesmo dos lados. Se não for exibido da forma correta, estas imagens, que não deveriam aparecer, aparecem.
Pois bem, dito isso: o fato da versão Full mostra mais acima e/ou abaixo do que a versão wide não significa que a Wide esteja cortando o filme horizontalmente. Na verdade, significa que a versão Full está mostrando ALÉM do que deveria.
Temos um exemplo clássico onde este tipo de "exposição a mais" gerada pelo fullscreen. No filme "Um Peixe Chamado Wanda", isso gera sérios problemas. Numa cena em que um ator deveria estar supostamente nu, de costas para a câmera e de frente para outros personagens, a versão Full, por mostrar mais do que deve, revela que, na verdade, o ator está vestindo uma cueca. O enquadramento correto pegaria da cintura pra baixo, sugerindo a nudez do personagem.

8. Quando o original está em 4:3: A revanche do fullscreen

Podem ocorrer situações em que o original etá em 4:3. Como foi dito anteriormente, os filmes antigos eram assim e como seria se eles fossem colocados em 16:9? Utilizaremos para a ilustração o filme Casablanca:


Este é o formato original.


Esta imagem ilustra o modo como 99% das lojas expõem as TVs widescreen. Quem nunca foi a uma meg-loja com uma exposição de uma tela grande widescreen e se deparou com uma imagem dessas?


Esta seria o que resultaria da transformação de um filme 4:3 para 16:9. Ou seja, apresentaria aproximadamente 25% de corte.


A solução para exibição de um filme 4:3 em um dispositivo 16:9 seria essa.


Não precisa ser um filme tão antigo assim:

Retirado do filme De Olhos Bem Fechados, versão fullscreen


Agora versão WS.

Agora o filme O Iluminado:





9. Conclusão

1. Ninguém gosta de "barras pretas", mas estas são um efeito secundário necessário à preservação da integralidade do filme. Ninguém de bom senso deve preferir um formato para ver um filme; posso gostar de um determinado formato, mas com certeza não vou querer ver «Casablanca» em 16:9(como foi dito anteriormente, ele é 4:3), porque não foi rodado assim. O formato relevante é o formato que os cineastas escolheram para rodar o filme, não o formato da TV.
Se as "barras pretas" se admitem como estética em clipes de música, não há por que negá-las onde elas são naturais.
2. É difícil constituir uma videoteca só com filmes com o enquadramento integral. Ou se importam de países onde, pelo menos, se identifica os filmes em widescreen, e onde existem edições especiais para quem procura filmes no formato cinematográfico original (o Reino Unido, por exemplo), A importação tem a desvantagem (?) da língua falada ou legendada ser diferente da nossa. Espera-se que a popularização do DVD venha democratizar tudo isto, com a possibilidade de escolher formatos (e línguas).
3. Os "novos" formatos não vão alterar nada, enquanto houver uma pseudo-necessidade de encher a tela da TV. Quem quer ver «Casablanca» ou «Citizen Kane» cortados para 16:9 (75% de filme)?


Fonte(s):

Wikipedia
DVD Em Casa
Cinema em Cena
Clube do DVD


Este tutorial foi transcrito do Fórum do eDonkers, veja o post aqui.


Para postagens no orkut:

[Dica] Widescreen X Fullscreen e outros formatos.
.
.
[b]1. Introdução
2. Um pouco de história a respeito dos formatos de tela existentes
3. O que significa widescreen?
4. O que significa fullscreen?
5. Entendendo melhor o Aspect Ratio
6. O que acontece quando se faz o pan scan
7. Quando fullscreen acaba mostrando mais do que devia
8. Quando o original está em 4:3: A revanche do fullscreen
9. Conclusão[/b]
.
.
.
[i]Devido à necessidade da vizualização de imagens para melhor entendimento deste conteúdo, aos que quiserem, por favor, acessem o conteúdo em http://nqk18469.blogspot.com/2008/04/widescreen-x-fullscreen-e-outros.html
.
.
Créditos ao [b]mamotchan[/b], autor do tópico no eDonkers.[/i]
.
.
===================
.
.
[red][b]1. Introdução[/red][/b]
Colocando em termos simples, a relação de aspecto da projeção de um filme (e o formato do filme no seu televisor) é expressa através da largura dividida pela altura. Existem vários tipos de A.R.(Aspect Ratio), basicamente estão representados por 4:3(fullscreen ou tecla cheia) e 16:9(widescreen, sendo que este apresenta váriações).
Iremos aqui apresentar as características de cada um, bem como fazer uma comparação para que assim os usuáios do site possam saber com detalhes a diferençaentre eles.
.
.
[red][b]2. Um pouco de história a respeito dos formatos de tela existentes[/red][/b]
O formato que hoje as TVs convencionais possuem (4:3 ou 1.33:1) foi concebido por Thomas Edison, na altura do cinema mudo, encolhendo ligeiramente depois para ceder espaço às trilhas sonoras. Essa primeira relação horizontal:vertical viria a ser adotada como standard pela Academy of Motion Pictures Arts and Sciences americana, em 1932.
Em seu televisor, quando toda área da tela é utilizada, usa a relação 4:3, como nos filmes antigos, porque quando os padrões de televisão foram definidos, no final dos anos 40, o padrão de cinema da época foi utilizado. Isto explica porque muitos filmes antigos (ex. Casablanca, Cidadão Kane) se encaixam na tela da TV perfeitamente. Quando a televisão entrou nos lares americanos nos anos 50, os estúdios de Hollywood sentiram uma queda inevitável nas bilheterias dos cinemas. Uma das respostas foi começar a rodar filmes em telas largas (widescreen), e muitos outros formatos que cada estúdio promovia.
Em 1953 surgiu o CinemaScope (http://www.cinedie.com/glossario.htm#cinemascope), com o filme bíblico «The Robe». O sistema utilizou lentes anamórficas (http://www.cinedie.com/glossario.htm#anamorfico), criadas por Henry Chrétien, cuja patente foi adquirida pela 20th Century Fox e registrada. Uma lente comprimia a imagem no negativo de 35mm, e outra lente na projecção descomprimia o filme num rectângulo de aproximadamente 2.55:1.
.
.
===================
.
.
[red][b]3. O que significa widescreen?[/red][/b]
Existem hoje dois principais aspectos para telas largas: 2.35:1 e 1.85:1 (embora existam variações desde 1.66 até 2.60). Quando você assiste a um DVD em "widescreen" você percebe que a tela não é completamente ocupada e tanto encima quanto embaixo aparecem barras pretas para que assim seja compensada a relação desproporcional entre largura e altura.
.
.
[red][b]4. O que significa fullscreen?[/red][/b]
Fullscreen em português significa "tela cheia". Como o próprio nome diz é o formato de vídeo onde a tela é inteiramente ocupada pelo vídeo em questão, não tendo assim as barras pretas presentes no widescreen.
Fullscreen geralmente é criado com um destes três métodos: pan e scan, onde a imagem é extraida de dentro do frame original; open matte, onde a imagem é extraida e partes do negativo original que foi rodado mas que não era a princípio para ser utilizado nos cinemas; ou reframing onde os elementos dentro da imagem são reposicionados. Este último método(Reframing) é quase exclusivo de filmes de animação onde os elementos podem ser facilmente movidos.
.
.
[red][b]5. Entendendo melhor o Aspect Ratio[/red][/b]
Acesse o link da imagem e clique na mesma para ampliá-la:
http://i.imagehost.org/0491/AspectoRatio.jpg
.
.
[red][b]6. O que acontece quando se faz o pan scan[/red][/b]
Acesse o link da imagem e clique na mesma para ampliá-la:
http://i.imagehost.org/0559/Panscan.jpg
Como pode ser visto na imagem acima, na passagem de Wide pra Full perdemos cerca de 45% da versão original!É muita coisa!
.
.
[red][b]7. Quando fullscreen acaba mostrando mais do que devia[/red][/b]

O que deve acontecer, tomando por base as demarcações nas películas quando projetadas nos cinemas, é o seguinte:
O DVD Widescreen preserva o formato original do filme, desejado pelo diretor e filmado daquela maneira. Se em Wide o close em Phoenix corta o topo de sua cabeça, é pra ser assim (e geralmente closes fazem isso mesmo, contra-planos, etc).
.
.
===================
.
.
Se "Gladiador", por exemplo, fosse mal encaixado no projetor de cinema, poderia revelar mais do que deveria, pra cima ou pra baixo. Já notou quando a legenda está muito em cima, e os projecionistas "puxam" o filme mais pra baixo, fazendo com que elas fiquem na altura correta? Pois então: o contrário também pode ocorrer. Daí às vezes somos "presenteados" com sessões mal projetadas na parte superior, que está localizada abaixo das demarcações corretas, e o resultado é... microfone aparecendo, por exemplo.
Em alguns making-ofs é possível ver a tela em que o diretor checa a cena recém-filmada, ou mesmo a cena sendo filmada no exato momento. Existem nessa tela, nesse monitor, dois retângulos: um menor, mais estreito, e outro maior. O estreito fica dentro do maior. Nesse estreito/menor está o enquadramento que deverá ser exibido. O que "sobra" fora dele não deve ser visto, o que serve para, por exemplo, poder ver se o microfone está ultrapassando a linha do retângulo menor, saber onde o aparelho se encontra e se ele vai aparecer ou não no filme.
O que está fora do retângulo menor, mas DENTRO do maior, TAMBÉM é filmado, mas NÃO DEVE ser exibido, não é para aparecer no filme. Por isso o enquadramento no projetor é importante. Em muitos casos há, sim, mais filme acima, abaixo e até mesmo dos lados. Se não for exibido da forma correta, estas imagens, que não deveriam aparecer, aparecem.
Pois bem, dito isso: o fato da versão Full mostra mais acima e/ou abaixo do que a versão wide não significa que a Wide esteja cortando o filme horizontalmente. Na verdade, significa que a versão Full está mostrando ALÉM do que deveria.
.
.
===================
.
.
Temos um exemplo clássico onde este tipo de "exposição a mais" gerada pelo fullscreen. No filme "Um Peixe Chamado Wanda", isso gera sérios problemas. Numa cena em que um ator deveria estar supostamente nu, de costas para a câmera e de frente para outros personagens, a versão Full, por mostrar mais do que deve, revela que, na verdade, o ator está vestindo uma cueca. O enquadramento correto pegaria da cintura pra baixo, sugerindo a nudez do personagem.
.
.
[red][b]8. Quando o original está em 4:3: A revanche do fullscreen[/red][/b]
.
.
Podem ocorrer situações em que o original etá em 4:3. Como foi dito anteriormente, os filmes antigos eram assim e como seria se eles fossem colocados em 16:9? Utilizaremos para a ilustração o filme Casablanca:
Acesse o link da imagem e clique na mesma para ampliá-la:
http://i.imagehost.org/0467/4_3xFull.jpg
.
.
===================
.
.
[red][b]9. Conclusão[/red][/b]
.
1. Ninguém gosta de "barras pretas", mas estas são um efeito secundário necessário à preservação da integralidade do filme. Ninguém de bom senso deve preferir um formato para ver um filme; posso gostar de um determinado formato, mas com certeza não vou querer ver «Casablanca» em 16:9(como foi dito anteriormente, ele é 4:3), porque não foi rodado assim. O formato relevante é o formato que os cineastas escolheram para rodar o filme, não o formato da TV.
Se as "barras pretas" se admitem como estética em clipes de música, não há por que negá-las onde elas são naturais.
.
2. É difícil constituir uma videoteca só com filmes com o enquadramento integral. Ou se importam de países onde, pelo menos, se identifica os filmes em widescreen, e onde existem edições especiais para quem procura filmes no formato cinematográfico original (o Reino Unido, por exemplo), A importação tem a desvantagem (?) da língua falada ou legendada ser diferente da nossa. Espera-se que a popularização do DVD venha democratizar tudo isto, com a possibilidade de escolher formatos (e línguas).
.
.
3. Os "novos" formatos não vão alterar nada, enquanto houver uma pseudo-necessidade de encher a tela da TV. Quem quer ver «Casablanca» ou «Citizen Kane» cortados para 16:9 (75% de filme)?
.
.
[b]Fonte(s):[/b]
.
Wikipedia
DVD Em Casa
Cinema em Cena
Clube do DVD
.
.
Este tutorial foi transcrito do Fórum do eDonkers, veja o post em http://www.edonkers.org/forum/viewtopic.php?t=37556
.
.
[:)]
.
.

===================

2008-04-07

Speed Master (Supidomasuta, 2007)

.





Sinopse:

Novo filme de ação japonês, no estilo "Velozes e Furiosos".

Ficha Técnica :

Titulo Original: Supidomasuta 2007
Titulo em Ingles: Speed Master
Genero: Acao
Tempo de Duracao: 97 minutos
Data de Lancamento: 25 August 2007 (Japan)
Director: Taikan Suga
Writer: Norio Kida (writer)
Country: Japan
Language: Japanese
Filming Locations: Japan
Cast : Lisa Ai
Ken Ayugai
Mayu Gamou
Kie Kitano
Shunsuke Nakamura
Yuichiro Nakayama
Kohei Otomo
Keiichi Suzuki
Shigekazu Wakisaka

Dados do Release:

Genre .........: Action
Release Date ..: 29.12.2007
Running Time ..: 97 Mins
Video Codec ...: XviD
Video Bitrate .: 860 Kbps
Audio Codec ...: MP3
Audio Bitrate .: 128 Kbps
Resolution ....: 624 X 336 (1.86 : 1)
Frame Rate ....: 23.976 FPS
Language ......: Japanese
Subtitles .....: None

Screens do Release:






Links de Referencia:
IMDB
Site Oficial

Release
Links ed2k:

Speed.Master.2007.DVDRip.XViD.MP3.CiELO.avi [700.93 Mb]

Megaupload/Megarotic:
Speed.Master.2007.DVDRip.XViD.MP3.CiELO.part1
http://www.megaupload.com/pt/?d=FAUH3EDO

Speed.Master.2007.DVDRip.XViD.MP3.CiELO.part2
http://www.megarotic.com/pt/?d=7YKOESWZ



Legendas:


legendas.tv Ou Badongo

Postado em originalmente em: eDonkers e Legendas.TV e VeryCD

National Geographic 1125 Wallpapers

.


Link ed2k: 111.National.Geographic.Wallpapers.rar [18.68 Mb]

Download http: EasyShare



Link ed2k:
Wallpaper.National.Geografic.Collection.I..673.Pictures.zip [105.59 Mb]


Download http: Megaupload

Link ed2k: Wallpaper.National.Geografic.Collection.II..341.Pictures.zip [53.70 Mb]

Download http: Badongo



.

2008-04-06

Real Female Orgasms 7 - Brianna Love e Flower Tucci

.




Com Brianna Love, Flower Tucci, Jada Fire, Annette Schwarz,
Chelsie Rae, Annie Cruz, Shyla Stylez, Kylie Wilde, Sunny Lane, Britney
Stevens, Lexi Love, Sindee Jennings, Mariah, Emma Cummings, Cayton
Caley, Tea, Faye Runaway, Cassie Marie, Wildy, Evie Delatoso.




Quer Saber Mais?

Clique na imagem abaixo,
Veja o Post e
faça o download pelo Rapidshare !




Downloads e Tutoriais



Blog restrito à usuários com email do Google e do blogger.com



E mais 4 vídeos:

Brazilian - Japinhas Em Sexo Quente [asian babes in Brazil]
Private - Virgen Dreams
Mike in Brazil 30 03 2008 NATASHIA
There Will Be Cum (2008)



.

Revistas Info Exame Janeiro/2003 à Abril/2008

.


Tem um tópico que fiz, em um fórum que indexa links ed2k(eMule) no qual estão postados os links avulsos, das edições de Janeiro/2003 à Abril/2008.

Faltam algumas de 2004, e algumas Coleções de 2006, 2007 e 2008.

Ainda estou garimpando todos os Cursos em CD do Info Exame, também!

Assim que consiguir baixá-las, pelo eMule, por torrent ou http, estarei disponibilizando-as tanto lá quanto por aqui, neste Blog.

Quem quiser dar uma olhadinha, é só acessar
por aqui.

CD-ROM Info 2008 - Edições 2006 e 2007 da Revista

.



Todos os testes, dicas, tutorias e reportagens publicados nos últimos dois anos num único CD.

Configuração mínima
Windows
Pentium III
256 Mb de RAM
Windows 98/Me/2000/XP/Vista
Adobe Reader 6.0 ou posterior

Linux
Pentium III
256 Mb de RAM
Ubuntu 5.04 (ou equivalente) ou posterior
Adobe Reader 6.0 ou posterior

Releaser: mvkako

Formato: ISO
Tamanho: 683 MB
Download: eMule
Grupo Lançador: GibiHQ!/mvkako

Link ed2k:

DVD:
CD.ROM.INFO.2008.19JAN08.mvkako.GibiHQ.iso

Capa e contra capa do CD:
CD.ROM.INFO.2008.19JAN08.mvkako.GibiHQ.jpg

Label do CD:
CD.ROM.INFO.2008.Label.19JAN08.mvkako.GibiHQ.jpg




Outra Opção de Download:

Servidor: Badongo

Capa e contra capa do CD:C Download aqui

Label do CD: Download aqui

CD Partes: 6

Parte 1
Parte 2
Parte 3
Parte 4
Parte 5
Parte 6


.

DVD-ROM Info 2007 - 12 Vídeo Aulas

.


DVD com os 12 cursos em CD-ROM
publicados de fevereiro de 2006 a janeiro de 2007:
Excel
Nero
Monte o seu Athlon 64!
Rede Wi-Fi
Illustrator CS2
Edição de fotos
AutoCAD 2007
Premiere Pro 2.0
Impressão
Redes Linux
Corel Draw e
In Design.





DVD Formato: .NRG (Nero)
Tamanho: 1.89 GB
Download: eMule

Link ed2k: DVD-ROM.Curso.Info.2007.nrg



Outra Opção de Download:

DVD Formato: .ISO
Tamanho: 1.88 GB
Servidor: Megaupload/Megarotic
Partes: 4


DVD-ROM.Curso.Info.Exame.2007.part1
http://www.megaupload.com/pt/?d=C0QO7US5

DVD-ROM.Curso.Info.Exame.2007.part2
http://www.megaupload.com/pt/?d=RDMUQ9SB

DVD-ROM.Curso.Info.Exame.2007.part3
http://www.megarotic.com/pt/?d=KQHXIVZR

DVD-ROM.Curso.Info.Exame.2007.part4
http://www.megaupload.com/pt/?d=GBDUONCI




.

CD-ROM Info 2007 - Edições 2005 e 2006 da Revista

.



Os testes, reportagens, fotos e gráficos da revista em 2005 e 2006 ficam armazenados no seu PC, para consulta ultra-rápida!




Formato: .ISO
Tamanho: 609,06
Download: eMule

Link ed2k:

Revista.Info.Exame.2007.CD.ROM.Edicoes.2005.e.2006.iso


.

CD-ROM Info 2006 - Edições 2004 e 2005 da Revista

.



Todas as edições da revista INFO nos últimos dois anos, em um único CD-ROM. Mais de duas mil páginas com todo o conteúdo da revista de tecnologia número um do país.
Os testes, reportagens, fotos e gráficos da revista em 2004 e 2005 ficam guardados no seu desktop.

Formato: .RAR
Tamanho: 525,67 MB
Download: eMule

Link ed2k:

Coleção.Revista.Info.Exame.2006.by.rodrix.PFRevolutions.[www.pootzforce.org].rar





Outra Versão:


Formato: .ISO
Tamanho: 671 MB
Servidor: Badongo
Partes: 6


Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

Parte 6


.

CD-ROM Info 2005 - Edições 2003 e 2004 da Revista

.


Todas as edições da INFO de 2003 e 2004 agora no seu PC!

Formato: .RAR
Tamanho: 436.30MB

Download: eMule

Link ed2k:

Revista.Info.Exame.2005.CD.ROM.(edicoes.2003.e.2004.).BR.by.Falcom.rar







P.S.: Devido a pouca quantidade de fontes disponíveis na rede eMule, o mesmo está demorando para concluir... mas assim que tiver finalizado, deixarei disponível em http e no eMule também.
.

2008-04-05

Peer-to-Peer

.




Como usuário do eMule e do Bitcomet, não podeira de deixar de fazer um post relacionado ao assunto:

O P2P ou Peer-to-Peer(Par-a-Par) é uma tecnologia para estabelecer uma espécie de rede de computadores virtual, onde cada estação possui capacidades e responsabilidades equivalentes. Difere da arquitetura cliente/servidor, no qual alguns computadores são dedicados a servirem dados a outros. Esta definição, porém, ainda é demasiado sucinta para representar todos os significados do termo Peer-to-Peer.

Maires informações em Wikipédia
.

CD-ROM Info Exame 2003 - As 12 edições de 2003



As 12 edições da Revista Info Exame de 2003 em um único CD.

Formato: .ISO
Tamanho: 226MB
Servidor: Badongo

Parte 1
Parte 2
Parte 3

WinISO: Download, Instalação, Registro + Pt.Br












O WinISO é uma ferramenta para arquivos de imagem CD-ROM, que pode ser convertido para ISO. Com este programa você ainda pode extrair/editar/criar arquivos ISO, fazer cd bootáveis. Pode processar quase todas os arquivos de imagem de CD-ROM incluindo o ISO. Com WinISO você pode adicionar/suprimir/renomear/extrair dentro de arquivos de imagem.

Características do programa:

  • Processa quase todos os arquivos de imagem do CD-ROM incluindo ISO e BIN.
  • Adiciona a habilidade de suprimir, renomear os arquivos extraídos dentro de arquvos de imagem.
  • Converte arquivos de imagem ao formato de ISO padrão.
  • Habilidade de criar arquivos de imagem do ISO para um CD-ROM.
  • WinISO é o primeiro software para editar diretamente BIN/ISO e quase todas os arquivos de imagem!
  • Selecione alguns arquivos ou diretórios, e crie então o ISO baseado nestes arquivos.
  • Muito fácil de usar.
Site do desenvolvedor

Formato do arquivo: RAR
Tamanho: 1.17 MB

Download Badongo


Instalação e registro:

Na mesma pasta, tem 10 seriais anexados.
Decompactar o arquivo, e executar o arquivo WinISO.v5.3.exe

e siga os procedimento de instalação.

Abra o programa, com o mouse na aba Help, clique em Product Suport.

Copie um dos nomes e respectivo serial, de um dos arquivos em anexo.

Alterando o idioma da interface para o português:

Para alterar o idioma da inteface para o português, feche o programa copie o arquivo language.ini e cole-o na pasta aonde o mesmo foi instalado, geralmente em C:\Program Files\WinISO .

Pronto. Agora a sua interface está em português.


Mini Tutorial - Como criar arquivos ISO:

Primeiro, baixe o programa WinISO.

Se quiser fazer a imagem de algum CD que você tem já gravado em CD, copie todos os arquivos apra uma pasta no computador antes de fazer a imagem...






Na parte branca da tela do progarma, clique com o botão direito do mouse:
E clique em Add Files... se quiser criar imagem de arquivos, ou Add Directory se quiser fazer a imagem de uma pasta completa.















Agora, nessa tela, escolha a pasta que deseja adicionar os arquvivos:
ATENÇÃO: Não escolha o drive de CD, senão irá dar erro, mesmo se for um
drive virtual! Se quiser adicionar um CD inteiro, copie os arqiuvos para uma apsta no seu computador, e adicione!













A pasta escolhida, irá aparecer na parte que estava em branco no programa. Agora basta clicar em File, depois em Save As..., e na tela que irá surgir, ponha o nome do arquivo e clique em Salvar.


Basta esperar o programa terminar de fazer a imagem, e pronto, uma imagem ISO feita !!!